no image
RELACIONAMENTO ABUSIVO: O QUE É E COMO IDENTIFICAR

Entre os sinais estão ciúmes, controle, afastamento de outras pessoas, invasão de privacidade, chantagem, invalidação dos sentimentos, ameaças e violência física

Pode acontecer entre casais, relações familiares, no ambiente de trabalho e até entre amigos, mas os dados oficiais mostram que o relacionamento abusivo e a violência doméstica acontecem com maior frequência em relacionamentos heterossexuais, onde as mulheres são maioria entre as vítimas, com maior número de mulheres negras.

Isso se dá devido à nossa sociedade patriarcal, machista e racista na qual inúmeras crenças, condutas e estruturas sociais foram construídas e enraizadas. Também há um número muito elevado de violência destinada a mulheres transsexuais.

Como identificar um relacionamento abusivo?

O relacionamento abusivo pode começar de forma muito sutilVeja aqui algumas pistas para saber se está num relacionamento saudável ou não e como avaliar a qualidade de uma relação.

O fato é que, aos poucos, o abusador vai minando a autonomia e a autoestima. Isolando a pessoa parceira da sua rede de apoio e dos seus amigos, afinal, uma pessoa sem rede de apoio tem muito mais dificuldade para sair dessa relação.

Ao identificar que está em uma relação abusiva, a vítima, geralmente, se sente envergonhada e culpada por estar nesta situação. Tudo isso dificulta a busca por ajuda. É importante compreender que não há culpa alguma em estar vivendo um abuso, seja ele de que tipo for.

Muitas vezes, a vítima identifica o relacionamento abusivo, mas tem uma dificuldade muito grande de assumir para si mesma. Inicialmente pode haver uma negação, pois se perceber neste lugar é realmente muito difícil e frustrante.

Há um ciclo do abuso em que, entre momentos de êxtase da relação, o abusador começa a ameaçar, humilhar, insultar, criando um ambiente de perigo que culmina em agressão física e/ou aumentam as agressões psicológicas.

Após o ápice do abuso, vem o arrependimento, o pedido de desculpas e a busca por uma reconciliação por parte do abusador.

Neste momento, geralmente vem as promessas de mudança para que a pessoa permaneça na relação e há um grande alívio da angústia vivida pela vítima, gerando uma sensação de bem-estar. 

Isso faz com que se torne ainda mais difícil para quem sofre abuso sair dessa situação. Há, ainda, um grande medo de retaliação pelo abusador. Isso também dificulta o pedido de ajuda.

Observe os sinais de um relacionamento abusivo

  • Comportamentos ciumentos, que invadem a privacidade e se mantém sempre em desconfiança, possessividade e controle de tudo o que você faz, com quem fala e aonde vai. Veja aqui como diferenciar ciúmes e posse.
  • Isolamento dos círculos de amizade, família e atividades que você gosta e te faz bem.
    Manipulação e superioridade: Você sente que está certa, mas ele te convence de que você está errada. Ele sempre coloca a culpa em você. Mesmo que você esteja chateada com ele por algo que ele fez, você sempre termina se sentindo errada e pedindo desculpas.
  • Desprezo, humilhação e/ou menosprezo: aponta defeitos, te corrige e humilha na frente de outros, te ignora ou é frio quando você expressa seus sentimentos. Tudo o que você faz nunca está bom ou é o suficiente. Não diz que te admira e faz você se sentir um lixo. Acredite, você não é isso. Você não fez nada para merecer isso.
  • Pressão estética com humilhação do corpo, comparações e exigências.
  • Jogos emocionais: a pessoa te xinga e/ou bate e diz que você que provoca isso. Justifica a humilhação que te causa dizendo que faz isso porque te ama muito. Note: em uma relação saudável, não existe chantagem emocional ou agressões, muito menos justificada por sentimentos.

Como identificar um abusador

Você pode se perguntar como se sente quando está com aquela pessoa. Não existe um perfil padrão de abusador.

Existem perfis clássicos como um homem muito machista, mas também existem aquelas pessoas com personalidade muito doce e desconstruída, e que podem ser abusadoras.

Observe como você é tratada e respeitada. É a partir do diálogo, do comportamento que essa pessoa tem em relação a você e de como se sente com ela, que será possível responder à questão.

Pergunte a si mesma:

  • Essa relação faz eu sentir humilhação?
  • Eu me sinto limitada, diminuída ou com medo?
  • Alguma relação, seja com família ou amigos teve de ser cortada?
  • Eu sinto obrigação de prestar satisfação sobre com quem falo e onde estou?
  • Eu já precisei provar minhas respostas por desconfiança da outra pessoa?
  • Eu já tive de dar minhas senhas?
  • Essa relação me faz duvidar da minha sanidade mental e/ou capacidade de fazer alguma coisa?
  • Eu sinto medo de me expressar e/ou me sinto silenciada quando tento falar algo?
  • Eu sempre me sinto culpada, errada e acabo pedindo desculpas mesmo por aquilo que não fiz?
  • Eu sinto que nunca recebo elogios, mas recebo críticas e comentários sutis sobre algum suposto defeito ou indiferença?

Como sair de um relacionamento abusivo

O primeiro passo é escolher uma pessoa para falar sobre isso. Pode ser uma pessoa amiga, uma terapeuta, ou até mesmo um desconhecido que te passe segurança. No momento em que você falar sobre o assunto, poderá se escutar e começar a compreender melhor o que você está vivenciando e, então, criar coragem e apoio para sair dessa situação.

Outro passo é o empoderamento da vítima. Isso pode ser feito na terapia ou na rede de apoio, mas é importante lembrar que, enquanto sofre abuso, a pessoa vai se isolando dos amigos e da rede apoio, das atividades de prazer e de seus projetos de vida.

Quanto menos ela faz coisas que te geram prazer fora do relacionamento, mais poder o abusador tem sobre ela. A pessoa fica totalmente imersa na bolha desse relacionamento.

A terapia é muito importante para sair de um relacionamento abusivo e também ajudar a lidar com o medo posterior de construir uma nova relação. Trabalhar a culpa e a vergonha de ter estado naquela situação é outro ponto da terapia, que vai incentivar e apoiar a vítima a retomar e criar projetos, ter contato com os amigos, e encontrar caminhos para suas capacidades e potencialidades.

Paloma Soares | Psicoóloga


d068ee324f6cd1a0a521104ab52c7e46

Uma postagem de

Psicóloga Dra. Paloma Soares

Especialidades

Veja nossas especialidades de atendimento psicológico presencial e online.

Nuvem de Tags

Postagens Relacionadas

no image
Fui traída(o) onde foi que eu errei?
no image
Morar juntos sonho ou pesadelo?
no image
Casamento em crise e carreira em alta como lidar com esse dilema
cce31e0d 44e5 495d 9e8f 3ad897c2456d

Das 09h as 20h, de Seg a Sexta

uffizi

ampliareclinicadepsicologia@gmail.com

Endereço: Cond. Uffizi Medical Center

Rua Anchieta, 204

Vila Boaventura - Jundiaí/SP

Avalie este post